sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

IDENTIFICAÇÃO


"Quem dizem os homens que sou?" ( Mateus 16.13).

Esse questionamento de Jesus aos seus discípulos revela-nos a importância de manter sob integridade nossa identificação, de sermos genuínos, de sermos nós mesmos.

Amo minha família e meus amigos, e como é bom saber mais do que seus nomes, conhecê-los intimamente, a beleza de seus gestos e do tipo de gente que eles e elas são. Simplesmente os amo, como são!

O grande barato da vida é sermos nós mesmos!
Aventure-se em busca da pessoa bonita que você é.
Como dizia o Milton: "eu caçador de mim"
Lí não sei onde essa poesia atribuida a Clarice Lispector,
Chama-se IDENTIFICAÇÃO:

"Não me dêem fórmulas certas,
Porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim,
Porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem não sou,
Não me convidem a ser igual,
Porque sinceramente sou diferente.

Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão.

Sou sempre eu mesma,
mas com certeza não serei a mesma para sempre."

É isso ai. Somos os mesmos na essência, temos uma identidade,
Entretanto, estamos ou deveríamos estar mudando a cada novo dia.

Cada dia é uma boa oportunidade para recomeçar a recontruir,
nossa identidade.

O Rabino Zusha de Hanipol falando sobre o assunto disse:

"Quando eu morrer e chegar ao mundo vindouro, não me perguntarão:
Zusha, por que você não foi Moisés? Perguntarão: Zusha,
Por que você não foi Zusha."

É muito comum estar insatisfeitos com o que somos, a propaganda nos incita
A isso, mas a maior aventura que podemos viver é nos encontrarmos e
Vivermos nossa própria vida. Eu chamaria a isso de felicidade.

Sucesso na sua busca de si, coragem para ser você mesmo(a).
Pois é assim que somos lindos e melhores, é quando somos nós mesmos!

Um abração Para você!

6 comentários:

Carlos Bezerra disse...

Sábias palavras meu amigo!

Wedla disse...

Desde a primeira vez que ouvi esse poema no culto, fiquei pensando nas poucas palavras que me lembrava. Às vezes não me lembrava de nenhuma, mas ficava lembrando de como aquele poema era verdadeiro.

"Não me convidem a ser igual,
Porque sinceramente sou diferente."

E é uma verdade que precisamos estar em constante mudança, contante transformação, senão, corremos o risco de ficarmos iguais.

Pastor Otacílio, estou muito feliz por estar entre nós. Você é muito especial. Espero poder conversar muito mais com você e tê-lo sempre por perto, sua presença me traz alegria. Obrigada por tudo.

Que Deus te abençoe.

Um abraço da filha e ovelha...
diLkinha.

Amo-te.

WedLa DiLkinha disse...

Desde a primeira vez que ouvi esse poema no culto, fiquei pensando nas poucas palavras que me lembrava. Às vezes não me lembrava de nenhuma, mas ficava lembrando de como aquele poema era verdadeiro.

"Não me convidem a ser igual,
Porque sinceramente sou diferente."

E é uma verdade que precisamos estar em constante mudança, contante transformação, senão, corremos o risco de ficarmos iguais.

Pastor Otacílio, estou muito feliz por estar entre nós. Você é muito especial. Espero poder conversar muito mais com você e tê-lo sempre por perto, sua presença me traz alegria. Obrigada por tudo.

Que Deus te abençoe.

Um abraço da filha e ovelha...
diLkinha.

Amo-te.

anso rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anso disse...

"Hoje sou costurado, sou tecido, sou gravado de forma universal, saio da estamparia, não de casa, da vitrina me tiram, recolocam, objecto pulsante mas objecto que se oferece como signo de outros objectos estáticos, tarifados. Por me ostentar assim, tão orgulhoso de ser não eu, mas artigo industrial, peço que meu nome rectifiquem. Já não me convém o título de homem. Meu nome novo é coisa. Eu sou a coisa, coisamente." Carlos Drummond de Andrade(extraído do poema EU ETIQUETA) Pois é Pastor, parece q o número do nosso RG está cada vez + embaralhado!!

D.Cosmo disse...

Como vc disse nos encontrarmos é felicidade,não só felicidade mas um grande passo pra seguir a vida,vivendo!
vlw Pr.
grande abraçoo